É multilingue? Demonstre os seus conhecimentos linguísticos no seu CV e impressione potenciais empregadores

Ser capaz de falar vários idiomas no atual mundo globalizado é algo valioso. É uma aptidão que pode abrir um leque de oportunidades profissionais e fazê-lo sobressair quando se candidata a empregos.

Como tal, não é surpresa que ouçamos frequentemente as seguintes questões dos utilizadores do CVmaker.pt:

  • “Qual é a melhor forma de mencionar os meus conhecimentos linguísticos no meu CV?”
  • “Onde posso colocar a secção de competências linguísticas no meu CV?”
  • “É aceitável que não o mencione no meu CV?”

Se estiver a pensar o mesmo, pode ler as respostas a essas e outras questões abaixo.

Crie o seu curriculum vitae

Quando é bom mencionar os seus conhecimentos linguísticos no seu CV?

Adicionar os seus conhecimentos linguísticos ao seu CV é sempre recomendável! É uma aptidão poderosa para se exibir. Mesmo que não seja especificamente exigido na descrição da vaga, existe sempre a possibilidade de encontrar outros idiomas no seu trabalho diário. Pense nisso, quais são as hipóteses da sua potencial empresa ter uma base de clientes internacionais? Ou mesmo colegas sediados no estrangeiro quer num escritório no estrangeiro quer a trabalhar remotamente (o que se está a tornar a norma). Para a perspetiva de um empregador, é bom saber que se surgir uma situação que exija alguém que saiba falar outro idioma, terá alguém à sua disposição.

Em que parte do seu CV deve adicionar os seus conhecimentos linguísticos?

Essa resposta curta difere dependendo do estilo do seu CV e da vaga de emprego a que se está a candidatar. Recomendamos-lhe sempre que inclua a informação mais relevante no topo do seu CV. Desta forma, o recrutador que irá analisar o seu CV vê de imediato a sua adequação à função. A função para a qual se está a candidatar pede especificamente competências linguísticas? Se o fizer, então faz sentido mencioná-los da forma mais proeminente que puder. Desta forma, o empregador nota-o imediatamente.

Se os papéis não pedirem especificamente a capacidade de falar um idioma estrangeiro, então recomendamos que o coloque mais abaixo no seu CV, deixando espaço para os aspetos mais relevantes para a vaga para a qual se está a candidatar. A regra neste caso seria incluí-lo com as suas outras competências na secção de competências do seu CV.

Que idiomas devia mencionar no seu CV?

Resposta curta? Todas os idiomas que consiga falar. Quanto mais souber falar, melhor. Mas do ponto de vista de um empregador, está encontrará o maior valor a partir dos idiomas que consegue falar, pelo menos até um nível de conversação. Assim, se souber apenas dizer "olá", "táxi, por favor" e "obrigado" numa língua, é provavelmente melhor passar à frente. Embora o possam ajudar nas suas viagens ao estrangeiro, não serão muito úteis para a vaga para a qual se candidata.

Para além de mencionar as línguas que consegue falar, inclua sempre a sua língua materna... ou línguas maternas, se tiver a sorte de ter crescido bilingue.

Qual é a melhor forma de apresentar a proficiência linguística no seu CV?

Existem várias formas diferentes de apresentar o seu domínio da língua, que explicaremos mais detalhadamente a seguir. Se a vaga pedir especificamente competências linguísticas, veja cuidadosamente como a descrição da função indica que proficiência é esperada. É melhor indicar a sua proficiência da mesma forma. Por exemplo, é necessário o inglês ao nível B2? Então certifique-se de que também indica os seus conhecimentos de inglês através da norma CEFR.

Em geral, pretende demonstrar os idiomas em que é proficiente de uma forma curta e poderosa. Torne-o sempre que possível! Ao torná-lo visual, irá facilitar muito o trabalho do recrutador na obtenção de uma boa ideia dos seus conhecimentos linguísticos.

Quais são os idiomas mais comuns num CV?

  • Inglês
  • Alemão
  • Francês
  • Espanhol
  • Mandarim

Ao apresentar os idiomas que conhece, ordene-os por relevância. Se é importante que saiba falar francês para o papel a que se candidata, então apresente-o em primeiro lugar.

Em termos de apresentação dos seus conhecimentos linguísticos, seja criativo! Aqui estão algumas formas comuns de apresentar as suas competências:

  • Apresente-os com bullet points ou asteriscos
  • Apresente-os utilizando terminologia padrão
  • Apresente-os utilizando o padrão internacional

Qual é a terminologia padrão para declarar proficiência linguística?

A maioria dos CVs tende a optar pela terminologia padrão, destacando a sua proficiência linguística. A terminologia normalizada tipicamente utilizada é:

  • Nativo
  • Excelente
  • Bom
  • Razoável

self assessment language skills

Source: Europa.eu

Deseja saber mais sobre a norma QECR? Descarregue esta grelha de autoavaliação

O que é a Norma Internacional CEFR?

Se já se candidatou anteriormente a cargos em empresas internacionais, é provável que já se tenha deparado com isto.

O Quadro Europeu Comum de Referência, ou abreviadamente, o QECR.

O QECR faz a distinção entre seis níveis linguísticos diferentes:

Nível A

Nível A1 -: Básico

  • É capaz de compreender conceitos e expressões básicas
  • É capaz de se apresentar e fazer questões para descobrir informações pessoais
  • É capaz de interagir desde que a conversa seja lenta e clara

Nível A2: Básico

  • É capaz de compreender expressões comummente utilizadas nas lojas, em ambiente familiar e no local de trabalho
  • É capaz de executar tarefas que requerem troca direta de comunicação
  • Consegue definir termos avançados em termos simples

Nível B

Nível B1: Independente

  • É capaz de compreender temas relacionados com a família, o trabalho e a escola
  • É capaz de descrever brevemente experiências, eventos, sonhos, planos, etc.
  • É capaz de escrever textos simples sobre temas de interesse pessoal

Nível B2: Independente

  • É capaz de compreender o contexto de textos complexos
  • É capaz de interagir espontaneamente sem demasiada tensão
  • É capaz de criar textos detalhados sobre uma grande variedade de tópicos

Nível C

Nível C1: Avançado

  • É capaz de compreender textos ou conversas mais longas e mais exigentes
  • É capaz de expressar ideias sem hesitar demasiado
  • É capaz de criar textos estruturados e detalhados sobre temas complexos

Nível C2: Avançado

  • É capaz de compreender quase tudo o que lê e/ou ouve
  • É capaz de resumir informação de diferentes fontes numa apresentação coerente

Como determino o meu nível de idioma?

Se já realizou um curso de idiomas antes, é muitas vezes mencionado o nível que se espera que obtenha após a conclusão do mesmo. Isto é normalmente realizado através da norma CEFR acima referida e pode ser acrescentado diretamente ao seu CV.

Se planeia utilizar uma terminologia padrão para descrever a sua proficiência, não se esqueça de espelhar as palavras utilizadas na descrição da vaga. Por exemplo, se estiver a candidatar-se a uma empresa com escritórios no Reino Unido e em França, pode descrever o seu conhecimento como "bom" ou "conversador", se tiver atingido o nível B1 de francês. O que deve fazer se tiver dúvidas sobre a sua proficiência linguística? Pode ser capaz de seguir uma conversa de negócios num idioma, mas esforçar-se para se envolver plenamente na conversa, que proficiência é que tem nesse caso? É importante que seja o mais honesto possível sobre a proficiência das línguas que enumera. Os recrutadores podem optar por testar o seu nível linguístico durante o processo de entrevista. Em caso de dúvida, recomendamos que faça um pequeno teste de idioma – existem alguns testes gratuitos online.

Crie o seu curriculum vitae

Artigos relacionados

Mais de 112.872 utilizadores já criaram o seu CV

Com o CV maker, pode criar de forma rápida e fácil um CV profissional e distinto, em 15 minutos.

Crie o seu CV

Irá ter 65% mais probabilidade de obter emprego